Qual a diferença entre Regime de Caixa e Regime de Competência no meu negócio?

A imagem de ser um tema complexo e por muitas vezes distante do grau de instrução do empresário distorce e muitas vezes o afasta do interesse pelo estudo mais aprofundado do tema finanças. Mas para garantir uma boa interpretação da situação financeira de uma empresa, alguns conceitos são importantes, e conhecê-los se faz necessário. Continue lendo […]
Dos conteúdos sobre finança empresarial que consideramos essencial o conhecimento, estão a diferença entre os chamados “regime de caixa” e ” regime de competência”. 
Em uma empresa, toda movimentação que acontece dá origem a um evento (ou lançamento) contábil e financeiro.
Este evento pode ser uma entrada (venda) ou uma saída (despesas, custos ou investimentos). Todos os eventos são registrados pela contabilidade e pelo financeiro da empresa, respectivamente pelo Regime de Competência e pelo Regime de Caixa. Vamos à explicação:

O que é Regime de Competência

No Regime de Competência, o registro do evento se dá na data que o evento aconteceu. A contabilidade define o Regime de Competência como sendo o registro do documento na data do fato gerador (ou seja, na data do documento, não importando quando vai ser pago ou recebido).
A Contabilidade utiliza o Regime de Competência, ou seja, as Receitas, Custos, Despesas e Investimentos têm os valores contabilizados dentro do mês onde ocorreu o fato gerador. Isto é, na data da realização do serviço, compra do material, da venda, do desconto, não importando para a Contabilidade quando o item será pago ou recebido, mas sim quando foi realizado o ato.

O que é Regime de Caixa

Já no Regime de Caixa, consideramos o registro dos documentos na data de pagamento ou recebimento, como se fosse uma conta bancária.
Neste caso, o Financeiro utiliza o Regime de Caixa, ou seja, contabilizando as Receitas, Custos, Despesas e Investimentos dentro do mês onde foram pagos ou recebidos.

Resumindo:
Portanto, a principal diferença entre o Regime de Competência e o Regime de Caixa é que no primeiro deles utilizamos a data que a compra ou venda aconteceu e no segundo consideramos a data em que o dinheiro efetivamente entrou ou saiu do caixa da empresa.
Lembramos que dentro de um mesmo período, uma empresa pode ter superávit de caixa e realizar prejuízo líquido, e não entender isto é um dos principais motivos de falência de micro e pequenas empresas nos primeiros anos de vida.
Você não precisa ser expert em finanças nem em contabilidade para gerir seu negócio. Conte com quem há anos fornecesse um serviço de assessoria de excelência e dedica-se ao crescimento real e saudável da sua empresa, contate-nos e facilite esse processo.