4 dicas para a gestão de freelancers na sua empresa

Todo o contexto pandêmico impulsionou o trabalho remoto e mudou as dinâmicas de trabalho. Com toda a situação que estamos vivendo, cada vez mais as empresas optam por contratar freelancers para ajudar em tarefas do dia a dia. 

Delivery, empresas de streaming e conferências virtuais cresceram. Mas, além desses segmentos, formas de contratação também sofreram modificações.

Muitos estão optando por freelancers para serviços temporários, seja por uma alta demanda, por conseguir melhores preços na contratação ou até mesmo para cobrir um funcionário de férias ou doente.

Mas como gerir estes “funcionários” que não são fixos na sua empresa? Temos algumas dicas que podem te ajudar nesse sentido:

1 – UTILIZE UMA PLATAFORMA DE GESTÃO EMPRESARIAL

Com um bom software de gestão empresarial, você conseguirá gerenciar atividades, pagamentos, tarefas e prazos de um profissional autônomo. Essa gestão é crucial para que você saiba o quanto você está investindo e o retorno deste investimento.

Com um bom software, você consegue armazenar dados referentes a estes processos de forma simples, aliviando as outras atividades da empresa. Você também precisa qualificar estas contratações para poder contratar novamente e negociar preços.

2 – MENSURE OS RESULTADOS

Ao contratar um freelancer autônomo, você deve mensurar os resultados dos serviços prestados. É o famoso ROI, ou retorno sobre investimento, que é muito utilizado em campanhas de marketing.

A conta é bem simples. Basta você estipular quanto gastaria para fazer aquele serviço internamente, quanto o resultado deste serviço pode te trazer de lucros e quanto você está disposto a pagar pela terceirização. Em alguns casos, é difícil mensurar quanto de resultado (lucro) você ganha, para isso você pode calcular por horas.

Por isso, é só você anotar quanto em reais você ou um funcionário que desempenha aquela atividade gastaria do seu financeiro por hora, então você terá uma ideia de quanto que vale a hora daquele serviço dentro dos moldes do seu negócio.

3 – ORGANIZAR AS TAREFAS PARA O SEU FREELANCER

Quando se contrata um freelancer, você tem que entender que este profissional é uma pessoa que, até então, está fora do seu negócio. É importante que você tenha métodos de imergir esta pessoa no ambiente da sua empresa, pois ela não sabe como funciona a rotina do seu negócio, quem é quem e como as atividades serão supervisionadas.

Uma forma prática de fazer isso, além de utilizar um software de gestão, é criar um tipo de cartilha, que pode ser feita em um slide explicando como funciona a empresa, e assim, tirar todas as possíveis dúvidas.

4 – COMO MONTAR UM BRIEFING DE TAREFAS DE TRABALHO REMOTO

Um briefing é um manual com informações sobre atividades de um projeto a ser desenvolvido. Nele, é importante que a sua comunicação seja clara e transparente.

Por isso, é importante ter alguém responsável para lidar com o freelancer. O maior pesadelo desses profissionais é quando eles precisam responder a 10 pessoas diferentes, cada uma sem entender onde o projeto começa e onde termina.

Não é obrigação deste profissional organizar o seu negócio. Para isso, selecione um encarregado competente para gerenciar as atividades e lhe prestar contas.

Seja básico ao escrever o que se espera. O foco é ser entendido.

Gerir freelancers no seu negócio não é tão simples, mas não precisa ser complicado. Tudo depende de um bom planejamento, seguindo um acompanhamento feito por alguém capacitado a utilizar melhor o tempo, organizar tarefas e prazos e estabelecer uma comunicação simples e efetiva.

A dica é contar com as ferramentas de gestão disponíveis no mercado para tirar o melhor proveito deste gerenciamento. 

Fonte: Jornal Contábil